Ilustrador de HQ censurada durante bienal do livro RJ se pronuncia.

Jim Cheung, ilustrador da HQ Vingadores - A Cruzada das Crianças, usou sua página no Instagram para se pronunciar com relação a determinação de Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, de recolher os exemplares dos quadrinhos durante a Bienal do Livro.

"O fato que esta HQ, com quase uma década, está sendo arrastada pelo prefeito para os holofotes talvez apenas destaque o quão desconectado ele está aos tempos atuais", declara Cheung, reforçando seu apoio a todas comunidades do meio.

Imagem

Confira abaixo a postagem completa:

"Teddy & Billy (2019)

Tive uma grande surpresa hoje ao saber que o prefeito do Rio de Janeiro decidiu banir a venda HQ feita por mim (e por Allan Heinberg), a Vingadores – A Cruzada das Crianças, sob a alegação de material inapropriado.

Para aqueles que não estão familiarizados com o trabalho de 2010, a controvérsia envolve um beijo entre dois personagens homens.

Agora, eu não sei o que levou o prefeito a procurar um trabalho com quase uma década que já está à venda há anos, mas eu posso dizer honestamente que não teve nenhuma motivação escondida ou agenda por trás do trabalho que pudesse promover qualquer tipo de estilo de vida ou visando atingir apenas uma audiência específica. A cena apenas descreve um momento de carinho entre dois personagens que estão em um relacionamento estabelecido.

Como um artista, minha paixão é contar histórias; de grande heroísmo, compaixão e amor, com personagens tão autênticos e diversos quanto possível. Personagens que retratam todos os estilos de vida e cores, sejam negros ou brancos, marrons, amarelos ou verdes.

O fato que esta HQ, com quase uma década, está sendo arrastada pelo prefeito para os holofotes talvez apenas destaque o quão desconectado ele está aos tempos atuais. As comunidades LGBTQ+ estão aqui para ficar e eu não tenho nada além de amor e apoio por aqueles que continuam lutando por validação e por terem suas vozes escutadas.

Eu espero que as pessoas lindas do Brasil, uma nação incrivelmente diversificada, possam ver através deste barulho político e possam focar na luz, em maneiras para se unir, ao invés de ajudar a semear as sementes de conflito e divisão."


A Bienal do Livro postou no Twitter oficial um comunicado informando que entrou com pedido de mandato de segurança preventivo no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro "a fim de garantir o pleno funcionamento do evento e o direito dos expositores de comercializar obras literárias sobre as mais diversas temáticas -- como prevê a legislação brasileira."

No entanto, na tarde do dia 07/09, uma decisão do Tribunal de Justiça do RJ suspendeu a liminar com nova ordem -- assinada pelo presidente do tribunal, o desembargador Cláudio de Mello Tavares --, que ordena recolher as obras da Bienal que abordem temática LGBT e que não estejam com embalagem lacrada com advertência para o tipo de conteúdo, sob pena de apreensão dos livros e cassação de licença (via G1).

No dia seguinte à declaração do prefeito, todos os exemplares da HQ, à venda em diferentes estandes da Bienal, se esgotaram em pouco mais de meia hora (via G1). A organização da feira afirmou que às 9h39 da sexta-feira (6) já não haviam mais cópias da graphic novel. Seguindo a repercussão nas redes sociais, o YouTuber Felipe Neto anunciou a compra de 14 mil livros com temática LGBTQ+ para distribuição gratuita durante a Bienal.

A 19ª edição da Bienal Internacional do Livro no Rio de Janeiro acabou no ultimo domingo 08/09.

Imagem

Fonte: Br/Ign

Comentários

09 Set, 2019 - 17:45

344 Views

Comentários